Etiquetas

, , , , , , ,

Foi um bom ano.  A C., após um começo cheio de nervoso miúdo, começa a tratar os livros por tu e anda sempre com um livro na mão. Confesso que fico feliz de a ver a ler mal acorda ou quando prefere desligar a televisão (acontecimento cada vez mais frequente) para se agarrar aos livros.

livro

A actividade extra-curricular de que mais gosta é da aula de ciências num colégio perto de casa. Já nos pede um microscópio, coisa que abominava há uns bons meses atrás, e nem o facto de ser a única menina da aula a preocupa. Gosta de  falar nas experiências científicas que faz e fiquei a saber que ajuda a professora a meter ordem na aula  quando os colegas não se calam ou começam a fazer tolices.

A par com a aula de ciências e o manual de Estudo do Meio, a Escola Virtual, da Porto Editora, tem sido uma mais valia. Não posso, como tal, deixar de recomendar a sua utilização.

A aprendizagem da Matemática tem sido serena e constante. Tudo a par e passo e com total respeito pelo seu ritmo. É escusado lançar as bases rapidamente para depois tudo se desmoronar no fim do segundo ciclo, ou ainda antes. Continuo a usar o método Singapura mas, de momento, dou preferência ao programa do Shanghai Maths. Inicialmente parecia-me mais puxado do que o de Singapura e, por isso, não o usava muito. Há uns meses comecei a perceber que a C. respondia melhor ao ritmo do Shanghai Maths. Por agora é o programa principal e o de Singapura é um bom complemento à aprendizagem.

IMG_20170417_100004.jpg

Para o próximo lectivo irei adicionar a disciplina de Filosofia (para crianças) e a aprendizagem do ábaco Soroban com a ajuda destes manuais e colecção de livros:

502x

502x (1)

download

Em média o Ensino Doméstico, na sua vertente estritamente formal, ocupa cerca de uma hora a duas horas do tempo dela por dia. Isto a nível de um primeiro ano de escolaridade. Calculo que no próximo ano o tempo médio diário irá aumentar até ao máximo de três horas por dia. Tenho de reconhecer que, para mim, ocupa-me uma boa parte do tempo. Além do tempo de preparação dou por mim a procurar os melhores manuais para apoiarem a aprendizagem. Como professora de línguas estou numa demanda pessoal porque quero também introduzir o Inglês em 2017/2018 e não sei ainda que manual devo usar. Olho com desconfiança para os manuais de Inglês usados pelas AEC’s/escolas de 1.º ciclo porque sei que introduzir uma língua estrangeira sem rigor só proporciona uma sucessão de disparates e de desastres. Por algum motivo, além da Matemática, o Inglês é a disciplina com piores resultados no 2.º ciclo. Terei até Setembro para me decidir e ponderar qual o melhor caminho a seguir. Entretanto já encontrei livros de iniciação que irei usar:

Anúncios